Informações turísticas

Síntese Histórica

Inicialmente a Península de Macau era habitada por pescadores vindos das províncias de Fukien e Cantão. Daí a designação chinesa de Macau - "Ou Mun" – que, à letra, significa "Porta da Baía".

O termo em português - Macau - parece estar ligado ao culto da deusa "Á-Má", venerada em todo o sul da China, e ao templo que lhe foi dedicado no Porto Interior. Mais ou menos a partir dessa altura é que o lugar passou a ser conhecido por "Á-Má-Gao" (Porto de Á-Má) de onde, muito possivelmente, derivou a palavra MACAU.

Os portugueses chegaram a Macau entre 1554 e 1557, embora já andassem pelos mares do Sul da China desde 1513, data da viagem de Jorge Álvares cuja estátua está no centro da cidade.

Foi com o acordo dos mandarins locais que se estabeleceram nesta região, onde instalaram vários postos de trocas comerciais tornando-se, a península, um entreposto lucrativo no comércio entre a China, o Japão e a Europa, característica essa que se tem mantido ao longo de séculos. Macau teve, pois, o papel de porta aberta da China para o exterior, de lugar do contacto e do cruzamento do Ocidente com o Oriente.

Foi, também, desde cedo que Macau foi escolhido pelos missionários para se lançarem à difusão, em terras do Extremo Oriente, da Fé Cristã, das Ciências e da concepção ocidental do Mundo e da Vida. O famoso "Colégio de S. Paulo", fundado em Macau no séc. XVI, é considerado pelos historiadores como tendo sido a primeira universidade de matriz ocidental instituída na Ásia Oriental. Por aí passaram muitas figuras famosas, que deixaram na História o seu nome em letras de ouro. Foi o caso de Mateus Ricci, de S.Francisco Xavier e de tantos outros que, pela sua acção, contribuíram para o diálogo inter-civilizacional que ficou para sempre uma das características desta terra.

Depois da criação de Hong Kong, em 1841, na sequência da vitória inglesa na primeira Guerra do Ópio, Macau perdeu muita da sua importância comercial pois que o seu grosso foi transferido para a outra margem do Delta do Rio das Pérolas. Hong Kong desenvolveu-se muito rapidamente, tornando-se num dos principais centros financeiros mundiais e deixando Macau como que em quase-letargia até há algumas décadas.

Mas Macau soube manter sempre uma atmosfera única que a diferencia totalmente das Regiões suas vizinhas. Continua a ser, como desde há séculos, uma combinação harmoniosa entre a Cultura Chinesa e a Portuguesa, pacíficamente construída pelos seus naturais. Esta é a base de sabedoria em que assenta a sua maneira de viver.

Hoje, Macau é uma Região Administrativa Especial da República Popular da China mas, de acordo com o desejo dos seus naturais e dos seus responsáveis, mantém e sempre manterá as suas características sociais e económicas, à luz de princípio "um país, dois sistemas". (Para mais informações sobre a Cerimónia de Transferência de Poderes, carregue aqui.)

Respira-se aqui uma atmosfera internacional junta a uma forma de viver verdadeiramente única em que, como sempre, a Europa se encontra com a Ásia e onde as duas maior comunidades (a chinesa e a portuguesa) construíram os seus muitos intercâmbios: uma forma de conviver baseada no respeito e na tolerância mútua.

Situação geográfica

A Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) é parte integrante da República Popular da China. Situada na costa sueste do país, a oeste do Delta do Rio das Pérolas, Macau, que é vizinha da Província de Guangdong, está a 60 kms de Hong Kong e a 145 km de Cantão.

A Região Administrativa Especial de Macau tem uma área de 29,9 km2, incluindo a Península de Macau (com 9,3 km2 e ligada à China Continental por um istmo), as ilhas da Taipa (7,4 km2) e Coloane (7,6 km2) e a zona do Aterro do COTAI (5,6 km2). A cidade de Macau está ligada à Taipa por três pontes: a Nobre de Carvalho (2,5 km), a da Amizade (4,5 km) e a Ponte Sai Van (2,2 km). A mais longa (a da Amizade) serve o Aeroporto Internacional de Macau situado na Taipa. A Ponte Sai Van, aberta ao público a 9 de Janeiro de 2005, é a primeira ponte suspensa de Macau. Com dois andares, tem seis vias no superior e quatro no inferior, o qual apenas é aberto ao trânsito na fase dos tufões. As duas ilhas estão ligadas entre si por um istmo com 2,2 km de comprimento.

Além das Portas do Cerco – que são a fronteira norte de Macau - os visitantes têm acesso à China Continental pelo Posto Fronteiriço Flor de Lótus, no COTAI. A Zona de Imigração e os Serviços de Alfândega ficam no aterro entre a Taipa e Coloane.

Hora

A hora local regista um avanço de oito horas em relação ao meridiano de Greenwich.

População

A população de Macau era de cerca de 525.500 habitantes, 94% dos quais de etnia chinesa (oriundos de diversas Províncias, sobretudo de Guangdong e Fujian). Os restantes 6% incluem portugueses e de diversas nacionalidades.

Língua

O Chinês e o Português são as línguas oficiais sendo, porém, o Cantonense a mais falada em todo o Território. As línguas oficiais são usadas nos organismos públicos e nos documentos oficiais. O Inglês usa-se, geralmente, no comércio e no Turismo.

Moeda

A Pataca (MOP.) é a moeda oficial de Macau; divide-se em 100 avos e apresenta-se nas seguintes notas e moedas:

Moedas: de 10, 20 e 50 avos; 1, 2, 5 e 10 Patacas
Notas: 10, 20, 50, 100, 500 e 1000 Patacas.

A Pataca está oficialmente indexada ao dólar de Hong Kong (HK$) que, aliás, circula livremente em Macau. A taxa de câmbio é de MOP103,20 para HK$100, com uma ligeira variação até 10%. Cerca de 10 Patacas correspondem a 1 EURO e 8 Patacas a 1 dólar americano.

As moedas estrangeiras e os cheques de viagem podem trocar-se facilmente nos hotéis, nos bancos e nas casas de câmbio autorizadas que existem por toda a cidade. Os visitantes que precisarem de trocar dinheiro fora dos horários de expediente deverão ir ao Aeroporto Internacional de Macau (na Ilha da Taipa) ou ao Hotel Lisboa (Macau) que têm balcões de câmbios abertos 24 horas por dia. Os bancos funcionam, geralmente, das 9h00 às 17h00 estando abertos à hora do almoço. A maioria dos hotéis, lojas e restaurantes aceita cartões de crédito.

Não há qualquer restrição ao montante de dinheiro que entra ou sai do Território.

Clima

Macau fica no sul da China, na parte ocidental do Delta do Rio das Pérolas, na ligação entre o Interior da China e o Mar do Sul da China, a sul do Trópico de Cancer. É na direcção oposta aos ventos do Verão e do Inverno. Está, pois, na área das monções sendo considerada de clima temperado e chuvoso no Verão. A época mais agradável do ano é de meados de Outubro até Dezembro.

O Inverno, em Macau, cobre Janeiro e Fevereiro, quando é atingida pelos ventos frios e secos do Norte da Sibéria vindos do Centro e do Sul da China. A temperatura do ar desce por vezes abaixo dos 10º centígrados. É nesta época que geralmente se registam as temperaturas mais baixas do ano. Já os valores da precipitação e o número de dias de chuva são muito escassos devido à ausência de vapor de água na atmosfera.

A mudança do Inverno para a Primavera dá-se entre Março e Abril. Na costa do Sul da China o vento sopra de Leste para Sudoeste, o que faz aumentar a temperatura e a humidade. Na Primavera o tempo é húmido havendo, às vezes, chuviscos e alguns dias de pouca visibilidade.

O Verão em Macau é mais longo do que as outras estações. O calor e a humidade provocam, entre Maio e Setembro, algumas trovoadas, chuvas intensas e até mesmo algumas trombas de água. Entre Maio e Outubro são frequentes as tempestades tropicais. É nessa altura que se registam os valores mais altos da precipitação e da temperatura bem como as chuvas e as trovoadas. Quando está hasteado o sinal no.8 do Código local de Tempestades Tropicais, são interrompidas as ligações marítimas e aéreas com o exterior.

O Outono começa em Outubro, altura em que o Interior da China começa a arrefecer. Tratando-se de uma estação muita curta, o tempo é quase sempre ameno e com céu limpo. Em Novembro, a temperatura arrefece ficando o tempo relativamente frio e seco. Massas de ar frio vindas do norte atingem às vezes Macau em Dezembro.

Vestuário aconselhado

Normalmente informal, mesmo para se ir aos casinos. No Verão recomendam-se roupas leves de algodão mas, nas noites mais frias, de Outubro a Abril, com o Inverno pelo meio, não se passa sem um casaco, camisolas ou outros agasalhos.

Água

A água de Macau vem do Interior da China. Contém cloro para maior segurança. Mas há água destilada potável em todos os quartos de hotel e nos restaurantes.

Electricidade

A corrente eléctrica é de 220V a 50Hz. As tomadas usadas são as de três orifícios redondos. Deve confirmar-se a voltagem antes de se ligarem os aparelhos eléctricos.

Hospitais

Macau é um dos países mais desenvolvidos da Ásia no que toca à Saúde Pública, sendo a esperança média de vida no homem de 75 anos e meio e, na mulher, de cerca de 80 anos.

Em situações normais não se exige qualquer atestado médico. Todavia, em fases excepcionais, em Macau ou na Região, poderá ser exigido um certificado de saúde, designamente, de vacinas, não se requerendo, porém, qualquer vacinação prévia.

A água das torneiras pode beber-se. A qualidade da água é verificada regularmente e garantida pelos Serviços de Saúde, de acordo com as normas internacionais.

Em caso de emergência, deve dirigir-se ao Hospital do Conde de S. Januário (público) - Estrada do Visconde de S. Januário, Tel.(853) 2831 3731 - ou ao Hospital Kiang Wu (particular) - Estrada Coelho do Amaral, Tel. (853) 2837 1333. As urgências de ambos funcionam 24 horas por dia. Nos casos de menor urgência, poderá ir a qualquer Centro de Saúde, em Macau ou nas Ilhas. O mais central é o do Tap Seac, que fica entre a Rua do Campo e a Av. Conselheiro Ferreira de Almeida.

Em caso de emergência, deve dirigir-se ao Hospital do Conde de S. Januário (público) - Estrada do Visconde de S. Januário, Tel.(853) 2831 3731 - ou ao Hospital Kiang Wu (particular) - Estrada Coelho do Amaral, Tel. (853) 2837 1333. As urgências de ambos funcionam 24 horas por dia. Nos casos de menor urgência, poderá ir a qualquer Centro de Saúde, em Macau ou nas Ilhas. O mais central é o do Tap Seac, que fica entre a Rua do Campo e a Av. Conselheiro Ferreira de Almeida, Tel. (853) 2852 2232.

Além da Medicina Ocidental, há médicos de Medicina Tradicional Chinesa. Informações sobre a Medicina Chinesa podem ser obtidas nos Serviços de Saúde de Macau, Tel. (853) 2856 2404 ou no Hospital Kiang Wu, Tel. (853) 2837 1333.

Segurança

Macau é uma cidade muito segura. Há esquadras de Polícia em todo o Território; em situações de emergência deve contactar o número 999. Também há duas linhas para chamadas de emergência, disponíveis 24 horas por dia, com os números, 110 e 112.

Comunicação social

Publicam-se diversos jornais diários e semanários, tanto em Português, como em Chinês e Inglês.

Também existem revistas chinesas e portuguesas sobre aspectos da vida e da cultura de Macau e da Região. São exemplos a "Revista de Cultura", editada pelo Instituto Cultural (publicação trimestral, em Chinês, Português e Inglês) e a “Revista Macau" com versões chinesa, portuguesa e inglesa. Os jornais e revistas em Inglês e Chinês estão à venda na maioria dos quiosques e nos principais hotéis.

Macau tem as suas próprias estações de Rádio e Televisão, em Chinês e Português - a Teledifusão de Macau (TDM); a Televisão por Cabo de Macau dispõe de 55 canais com programas muito variados.

Telecomunicações

As chamadas locais em Macau são grátis na linha fixa, quando feitas de um telefone privado. A partir de um telefone público o custo é MOP1,00. Há à venda cartões telefónicos a MOPs50.00, MOPs100.00 e MOPs150.00 que podem ser usados como alternativa em qualquer dos telefones públicos. Nas zonas mais centrais da cidade, há também telefones para cartões de crédito.

Caso preferira ou necessite de usar telemóvel, em Macau, aconselha-se a que compre o cartão telefónico ou contacte os números 1000(CTM), 1118(Hutchison Telecom) ou 1628 (SmarTone Mobile Communications –Macau, Ltd.) ou 1888 (China Telecom - Macau Co., Ltd.) para mais informações.

Internet

Há serviços de Internet no Centro UNESCO (na Alameda Dr. Carlos d'Assumpção, NAPE), na Bibilioteca Central (na Av. Conselheiro Ferreira de Almeida, Nº.89, A-B) e em vários “cyber-cafés” espalhados pela cidade.

Património Mundial

Macau foi sempre um porto de negócios lucrativo, de importância estratégica, no desenvolvimento do comércio internacional. Desde meados do século XVI, o Território esteve sob Administração Portuguesa, até 1999, quando a soberania sua passou para a República Popular da China. O centro histórico de Macau, com ruas e edifícios residenciais, religiosos e públicos de matriz arquitectónica portuguesa e chinesa, apresenta um testemunho único das influências estéticas , culturais, arquitectónicas e tecnológicas oriundas do Oriente e do Ocidente. O Património Mundial de Macau também inclui uma Fortaleza e um Farol, o mais antigo na China. O local é o testemunho do mais antigo e duradouro encontro entre a China e o Ocidente, baseado na importância do comércio internacional.
Fonte de informação: UNESCO